quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Paraíba tem Roteiro Turístico para 30 dias de Vivências e Experiências.

Casa do Doce/Areia PB
O turismo de experiência na Paraíba compreende mais de 150 atividades criativas com foco na produção associada ao turismo, na economia criativa e na economia da experiência. Os resultados alcançados com o turismo de experiência em 14 municípios paraibanos é fruto da consultoria ACG, contratada pelo SEBRAE. A consultoria foi o melhor caminho para a construção do capital social, de um ambiente de confiança, união e integração entre os empreendedores, das diversas regiões paraibanas, com ações colaborativas e inovadoras, valorizando as histórias de empreendedorismo desses atores que transformaram sonhos em oportunidades negócios. A Paraíba hoje tem um modelo de turismo sustentável, com inclusão social, valorização da cultural local, aumento da competitividade com visão territorial do desenvolvimento, econômico, cultural, social e ambiental. 

Movidos pelos seus interesses, empresários e empreendedores das regiões do Litoral, Brejo e Cariri, já dispõem do direcionamento estratégico do turismo, que foi elaborado, respeitando as necessidades do atual perfil do turista, as necessidades da população local, a preservação ambiental e as expectativas de negócios para as empresas.

Com isso se amplia a capacidade de resposta do território turístico Paraíba, na busca de ações inovadoras e criativas, na preservação do patrimônio histórico, cultural e paisagístico das regiões. 

Considerando o diferencial turístico da Paraíba, e a diversidade de oferta turística, hoje sugerimos uma opção de roteiro turístico integrador de 30 dias na Paraíba, sem repetir as experiências. Esse roteiro foi elaborado pela ACG e SEBRAE, por isso convidamos você a fazer essa viagem comigo agora, através da leitura desse roteiro e depois se programar para vivenciar essa experiência, com a sua família, seus amigos ou sozinho. Sugerimos escolher uma Agência de Receptivo qualificada e um excelente Guia de Turismo. Mais informações e contatos procurar o SEBRAE/PB (2108.1256 ou 99981.1486).

1º dia - JOÃO PESSOA

Pela manhã, em João Pessoa, vivencie a rota dos ateliês de obras de arte. São pelo menos dez grandes artistas plásticos que abrirão o seu ateliê de artes plásticas e esculturas para receber vocês. Além da história de cada artista, é possível fazer uma oficina de arte, comprar alguma peça do artista e ainda tomar um café com arte em algum desses espaços visitados.

À tarde, sugerimos fazer um passeio pelo Centro Histórico da 3ª cidade mais antiga do Brasil, de preferência bem acompanhado, em um dos carros antigos de época, para conhecer a história, o casario e se encantar com esse inesquecível roteiro. 

2º dia - CONDE

Após o café da manhã, comece seu roteiro no litoral sul paraibano, conhecendo uma das maravilhas do Brasil, a famosa praia de Naturismo. Na praia Tambaba mergulhe  nas histórias que o destino oferece. Quem sabe você se aventure e vivencie essa experiência. Tambaba conta com um restaurante e uma pousada, uma linda e limpa faixa de areia, com o mar de um lado e uma grande falésia, e a mata nativa do outro lado, onde com muito respeito, famílias adeptas ao naturismo se divertem, e alguns naturistas surfistas aproveitam as ondas. Caminhe sem preconceito. Sinta a natureza com emoção!! Se não quiser entrar em Tambaba, fique na parte da Praia que não é de Naturismo, aproveite as águas mornas e as lindas piscinas naturais que se formam quando a maré está baixa. Aproveitou bem, fotografou muito, relaxou, agora deu vontade de  almoçar. Pegue a estrada e pare no restaurante Arca do Bilú, um lindo e criativo local, construído em forma de barco, onde você degustará deliciosos pratos à base de peixes e frutos do mar do cardápio. Reserve um tempo e conheça o proprietário, conhecido como Bilú e sua esposa Rosana Diniz, pessoas maravilhosas e simpáticas, que podem contar um pouco da história de Tambaba e do Naturismo. A comida deliciosa, o bom atendimento faz o local muito diferente e agradável, com várias histórias e curiosidades.

3º dia - CONDE

No local você pode agendar uma das caminhadas, com a Rosana Diniz,  que passa por diversas trilhas, praias e falésias encantadoras, ou pela Praia de Tambaba, sem precisar tirar a roupa. Você ainda precisa conhecer Doces Tambaba, no Assentamento Tambaba, um produto de produção associada ao turismo, que preserva a simplicidade e a singularidade do lugar. Foi criada uma graciosa sinalização local, uma pequena lojinha, em uma linda e bem decorada casa de taipa, lembrando as antigas moradias do local. Lá você será bem recebido pelas doceiras Luiza e suas filhas, que fabricam os doces de vários sabores, produzidos com as frutas locais e oferecem a degustação desses deliciosos doces caseiros!!!  Com agendamento é possível partilhar de danças culturais com o Grupo Jacoca ou uma Quadrilha Junina Local. Depois do descanso em uma das pousadas de Costa de Conde, saia para jantar em um dos restaurantes locais, cada um com seu conceito diferenciado. Sugerimos como uma excelente opção os restaurantes Tulipas, Matsuri, Zekas, Carpe Diem, O Púkaro e a Passarela do Caranguejo. São várias opções e você simplesmente irá adorar.

4º dia - CONDE

Inicie o  seu dia, vivenciando uma experiência única, na Aldeia Macuxi.  Vá preparado para se divertir na natureza, ao lado de uma família incrivelmente comprometida com a cultura indígena. Aproveite e  experimente um banho de lama, o passeio de caiaque, escute uma música no local, com voz e violão do Julíndio, que mistura a emoção de vivenciar a natureza, a criatividade e muita aventura... Como sugestão indicamos um passeio de buggy com os melhores profissionais da Cooperbuggy, pelas praias e mirantes da Costa de Conde. Não esqueça de levar a máquina fotográfica ou o celular, para registrar esses momentos, pois você verá cada paisagem incrível, de tirar o fôlego. Para o almoço, aproveite e escolha uma das opções dos Quiosques existente no Centro de Atendimento ao Turista na Praia de Coqueirinho. São nove Quiosques, uma praça de alimentação de frente para o mar, com um Cardápio variado. Cada um tem uma especialidade, o difícil vai ser escolher... Depois do almoço relaxe, aproveite o mar e a linda paisagem em seguida, vá apreciar a zona rural do Conde, e conheça o Memorial do Quilombo Ipiranga, uma casa típica do antigo Quilombo, decorada com os antigos utensílios deste povo.

Para encerrar o seu dia visite a Árvore dos Doces da Nice,  um Sítio com uma variedade de plantações de frutas, hortaliças, legumes e raízes, onde se produz doces artesanais, cocadas deliciosas ... Se agendar pode comer por lá mesmo uma galinha de capoeira com uma cervejinha bem gelada!!

5º dia - PITIMBU

Após o café da manhã, sugerimos conhecer o município de Pitimbu, também no litoral sul. Começando pela Praia Bela, hospede-se na Pousada Aconchego. Agende um delicioso almoço na Pousada e solicite o kit aconchego para praia, que inclui o guarda sol, cadeiras de praia, isopor com bebidas. Se preferir, na Praia Bela existem diversos quiosques que atendem na praia. Aproveite e caminhe, divirta-se fazendo um passeio de caiaque.   Depois do almoço, e para encerrar este dia, você pode agendar na Pousada Aconchego oficinas de artesanato de conchas do mar  com uma das Marisqueiras de Acaú ou uma oficina de Arte em Escama com a Lia Caju.

6º dia - PITIMBU

Para começar o 6º dia, agende com Rogério a Caminhada até o Rio Abiaí, conhecendo falésias coloridas e a história do local e ser encantar com uma vista maravilhosa, tendo um professor como condutor. Agende a caminhada com possibilidade de lanche durante uma das  paradas. Você também pode agendar uma pesca artesanal em frente ao quiosque do pescador José Lontra, a melhor experiência de pesca artesanal. E enquanto a rede está no mar é possível degustar caldinhos de peixe e de camarão nesse local bastante frequentado pela comunidade. Você também pode agendar com Rogério uma apresentação do grupo "Aruenda da Saudade" à beira mar,  grupo cultural tradicional, precursor do Maracatu, com mais de 200 anos em Pitimbu e até hoje encanta com a sua dança e a oficina de tambores.

Na parte da tarde, para relaxar, visite a  loja de artesanato que fica localizada na Praça Central ao lado da Igreja e veja as belas peças feitas com a fibra do coqueiro que se transformam em animais, flores, vasos e outras peças. Para encerrar este dia, agende uma oficina de mosaico, na casa de Marilu, de frente para praia, com os pés na areia e um lindo visual, um suco gostoso, fazendo a sua peça e levando de lembrança do local. Veja se o dia coincide com a Quinzena Cultural de Pitimbu, um evento que acontece todo segundo sábado de cada mês e reúne toda a cultura do lugar, como  apresentação cultural, o artesanato de fibra do coqueiro, artesanato de conchas e de mariscos.

7º dia - AREIA

Após tomar seu café da manhã na Pousada Aconchego é hora de fazer as malas pegar a estrada com destino a Areia, cidade do Brejo Paraibano, distante aproximadamente 140 km. Ao chegar em Areia, escolha um dos hotéis indicados no Catálogo elaborado pelo SEBRAE. Todos os hotéis sugeridos faz parte do conceito da produção associada ao turismo, economia criativa e economia da experiência. Após o check in, caminhe pelo centro histórico da cidade, em companhia da Guia de Turismo Gabi Neta. Aproveite para vislumbrar o casario maravilhoso, visite os Museus, o Ateliê Meninas de Areia e o Teatro Minerva - 1º teatro particular da Paraíba e ainda muito bem preservado. Para almoçar, escolha um dos restaurantes sugeridos pela Guia de Turismo. Em seguida, agende  uma aula de dança folclórica, com o Grupo Moenda, aprenda os passos e termine esse dia na Confraria da Cachaça, um local agradável, onde você encontra uma grande variedade de cachaças produzidas na Região. Neste local também é o escritório criativo do Receptivo Rotta Turismo, onde você pode  agendar uma trilha em um 4x4 conhecendo o que Areia e a Região tem de melhor.

8º dia - AREIA

Com aquele café da manhã maravilhoso que todos os hotéis de Areia oferecem, coloque boné, filtro solar e um calçado confortável, siga para o Engenho da Cachaça Triunfo. Prepare-se para ouvir e se emocionar com uma linda história de amor e da cachaça contatada pela Maria Júlia, a dona do dono do Engenho Triunfo, como assim ela gosta de ser conhecida. O Engenho é belo, a história é linda, a loja de cachaças e artesanato é encantadora, então, aproveite a degustação oferecida no Engenho. Além de comprar uma das melhores cachaças produzidas na Paraíba, em garrafas diferenciadas e criativas, você conhece todo o processo da fabricação da cachaça, degusta o sorvete com cachaça Triunfo que é exclusivo e imperdível. No mesmo roteiro você conhecerá a  Casa do Doce de Esther. O local é lindo e criativo. São mais de 73 tipos de doces, para você provar, saborear e levar de presente para todos os amigos. Para almoçar, retorne ao Centro da Cidade e conheça o Restaurante o Barretão, que além de servir uma deliciosa refeição, você pode, sob agendamento, curtir um bom forró pé de serra ou uma oficina de fabricação de cachaça com o mestre e professor Carlos Barreto, na Bodega do Barreto, dentro do restaurante. Faça você mesmo, embale a peça com autógrafo na garrafa, pois ninguém irá acreditar que foi feita por você ... Para terminar o dia, visite o Centro de Artesanato, localizado em frente da Praça Central, e em seguida agende uma oficina de Pintura em Tecido na Pousada Aconchegar`t, saboreando uma deliciosa sopa caseira, ao som de voz e violão da proprietária Lêda Maria.

9º dia - AREIA

Após o café da manhã no hotel, coloque filtro solar, repelente e calçado confortável, para vivenciar uma caminhada, acompanhado de condutores locais, na Mata do Pau Ferro, área de preservação ambiental. Após a caminhada participe da atividade criativa, Piquenique na Mata,  ouvindo as histórias de Luciana Balbino, líder comunitária de Chã de Jardim e ouça voz a violão de Rejane Ribeiro, também da comunidade. Com Luciana você ampliará seus conhecimentos sobre associativismo, gestão compartilhada e empreendedorismo. Um caso de sucesso de turismo de experiência, um exemplo de boas práticas do Turismo Rural no Brasil. Depois da caminhada, almoce no Restaurante Vó Maria, que fica no mesmo local  e se delicie com a comida tipicamente paraibana – comida da casa de Vó, como diz Luciana, em um restaurante rural da maior qualidade. Depois do almoço, visite o Engenho Bujarí, um Engenho secular, um dos únicos que ainda produz a legítima rapadura. No local você vai vivenciar a produção artesanal da rapadura, saborear e levar a deliciosa rapadura aerada e conhecer a coleção de xícaras que foi da mãe do atual proprietário, o agrônomo Leonardo Jardelino. Ao final do dia, agende seu jantar no Restaurante Azul Histórico do Hotel Triunfo, onde pode participar de uma oficina de artesanato com a artesã Suely Maia ou curtir um MPB com artista local. 

10º dia - AREIA

Comece bem o dia, conhecendo e vivenciando o antigo Engenho Várzea do Coaty, que ainda preserva uma linda Casa Grande, a primeira casa construída com cimento na região e que lembra o período da civilização do açúcar. Neste local cheio de histórias, a antiga Casa de Farinha se transformou em um restaurante rural, mantendo todas as suas características e onde é servido um delicioso almoço regional. O local ainda oferta um redário para uma soneca após o almoço (redes de dormir) e um pesque e solte. À tarde conheça a Loja A Talha com sua Garagem da Arte, onde você pode fazer com agendamento, uma oficina de pintura, saborear os deliciosos quitutes regionais misturando arte e gastronomia. Muito charmosa essa lojinha localizada ao lado da Igreja Matriz.  Encerrando o dia, vá conhecer a primeira Pousada Butique da Paraíba, a Pousada Villa Real e jantar no Restaurante Bambu Brasil, da pousada, um  conceito requintado da culinária paraibana. 

11º dia - AREIA

Tome seu café da manhã e prepare sua máquina fotográfica, pois o dia será só para fotos. Em Land Rover da Rotta Turismo e um dos melhores fotógrafos da Paraíba, Augusto Pessoa, você irá percorrer toda a cidade, do centro a zona rural, passando por antigos engenhos, cachoeiras, rios, pontilhões, pela mata típica da região, fotografando, com a orientação deste profissional. Durante o percurso pare para almoçar em algum dos restaurantes indicados pelo guia local e receba algumas dicas sobre fotografia, e ainda pode tirar suas dúvidas. Uma Atividade Criativa que com certeza agrada a todos, mesmo aqueles que somente tiram fotos por celular.


12º dia - ALAGOA GRANDE

Depois de tomar o café da manhã, pegue a estrada, vá em direção a Alagoa Grande, distante  de Areia, aproximadamente 15 km para conhecer a comunidade quilombola Caiana dos Crioulos. O acesso ao local é feito por uma estrada de terra, uma característica para se instalar um quilombo na época da escravidão. Aconselhamos que ao agendarem a visita solicitem um Condutor do Quilombo para acompanhá-lo. O local é lindo, com paisagens naturais belíssimas. Na comunidade você tem várias ofertas, desde danças seculares repassadas de geração em geração, artesanatos característicos, que representam a arte e a cultura de um povo. Também as caminhadas pelo Quilombo e as oficinas de dança Ciranda e de Artesanato. Se desejar fazer uma verdadeira imersão nesta cultura, é possível dormir no local em uma das hospedarias rurais dessa comunidade quilombola. Uma vivencia e experiência inesquecível. Para almoçar, saboreando a culinária típica nordestina, sugerimos o restaurante rural do Engenho da Volúpia, que além de produzir a Cachaça Volúpia permite que conheça processo produtivo, a lojinha das cachaças e a cachaçaria com degustação neste belo e confortável restaurante. O local possibilita caminhadas por trilhas dentro da área da propriedade do Engenho Lagoa Verde. Depois do almoço agende uma oficina de Bonecas de Pano da Casa das Bonecas, ou  oficina de artesanato com Nado ou de cerâmica com artesão Quaresma. Todas acontecem no secular Teatro Santa Ignez localizado no centro da cidade de Alagoa Grande. Neste local, você pode agendar a oficina de Pandeiro com Jackson Envenenado, e conheça um pouco mais das músicas de Jackson do Pandeiro com este artista local, que tão bem retrata a cultura desse destino turístico, bem como a visita ao Memorial Jackson do Pandeiro. Para encerrar este dia, vivencie um Passeio Noturno Criativo, com Dom Quixote Literário e Sancho Pança ou o Homem da Gaiola, uma caminhada cultural com esse grupo denominado Frente Trovadora, passeando pelas ruas da cidade. A poesia entrará em sua alma e você jamais esquecerá esse momento. Depois retorne para pernoitar em Areia.

13º dia - PILÕES

Depois de tomar seu café da manhã, pegue a estrada e percorra aproximadamente 23 km para chegar na cidade de Pilões. Contrate um condutor local e um transporte alternativo, o Pau de Arara Turístico, para conhecer a atividade criativa "Saboreando a Natureza" em Pilões. Faça uma caminhada, entre plantações de bananeiras e no final você irá saborear delicias preparadas pelas produtoras rurais que são conhecidas como Doces Mãos. Continue o passeio no Pau de Arara e visite  o assentamento Veneza e o Memorial Casa de Farinha. Você será recebido por mulheres, donas de casa que através da inclusão social no turismo,  apresentam o processo artesanal da fabricação da farinha de mandioca, por uma série de fotos exposta no local ou a própria fabricação, caso coincida com o dia da farinhada. Imperdível!! Para almoçar em Pilões, sugerimos o restaurante da Nalva, comida caseira da melhor qualidade. Depois do almoço, encerrando o seu dia, conheça o Centro de Artesanato de Pilões e se quiser, faça uma das oficinas no local. Volte para Areia. A estrada é boa e as cidades são próximas.

14º dia - PILÕES

Após o café da manhã volte para Pilões. Comece o dia rindo, rir faz bem para alma, junto com o Grupo Forró Humor e Vídeo, você conhece o Centro Histórico da Cidade, sua Matriz e se divertirá com Richard do Brejo e o Grupo de Forró Asa Branca... preciso dizer mais alguma coisa? Vá preparado para se divertir. Toda esta vivencia será filmada e depois enviada para você por e-mail. Visite a Pousada das Abelhas no Sítio Riacho de Faca e conheça tudo sobre as Abelhas Uruçu, que produzem um Mel comprovadamente medicinal. Fechando o dia com chave de ouro, pare no Café na Varanda, ao por do sol, para que você possa vislumbrar a vista maravilhosa da varanda da casa, saboreando um delicioso café coado com tapioca e bolos. Agende uma oficina de Flor com essas mulheres ou compre as flores de fuxico que duram para sempre.
Ao final retorne para Areia. 

15º dia - BANANEIRAS

Depois de fazer as malas, tomar café da manhã, fazer o check out, é hora de pegar a estrada e seguir para Bananeiras, distante aproximadamente 43 km. A sua hospedagem pode ser no Hotel Serra Golfe. Depois do check in, visite o Mosteiro das Irmãs do Carmelo. Toque a campainha e receba um dos melhores abraços de sua vida. Local de oração, onde você pode deixar um pedido de oração, comprar os artesanatos produzidos pelas Irmãs e mudas de plantas. Depois do almoço agende uma Aula de Golfe, em um campo de golfe maravilhoso localizado em um dos condomínios residenciais da cidade. Agende para o final da tarde para conhecer a famosa Tapiocaria do Serginho, onde você é recebido por esse casal maravilhoso – Edna e Serginho e é indicação do Guia 4 Rodas. À noite, de sexta a domingo, curta o Terraço Lisboa, Bistrô e Café da Chef Neide Lisboa, que tem muito bom gosto no cardápio oferecido.

16º dia - GUARABIRA

Hoje você vai conhecer as atividades turísticas de Guarabira, distante 34 km de Bananeiras. Café Luz é a primeira oferta criativa e saborosa, a ser vivenciada. Sob a coordenação da Associação de Mulheres Empreendedoras e Artesãs, surgiu essa atividade do café e a venda de artesanatos, além da receptividade. Durante a semana, atendem no Centro de Artesanato e aos domingos, na Praça Central, das 06h às 11h. Não esqueçam de conhecer, provar e comprar o famoso biscoito de letras, que formam o nome de Frei Damião. Sob agendamento, faça o Circuito dos Ateliês. Aproveite a conheça a mais antiga tipografia da cidade em funcionamento, a famosa Typographia Pontes, onde você vai voltar no passado e ver como era difícil e trabalhoso fazer uma simples impressão. No local, você pode comprar uma variedade de Cordéis e vivenciar a experiência de imprimir uma folha de Cordel. O Cordel Pavão Misterioso foi criado em Guarabira e foi tema de novela da rede Globo. O Atelier do Smart, onde são produzidas pequenas Esculturas e objetos de papel marchê. Seguindo, se apaixone com Ateliê do Zeno, onde o artista apresenta pinturas em óleo sobre tela, acrílico sobre tela, Ibioxênio sobre painel e xilogravuras. Terminando sua visita aos ateliês, agora é hora de conhecer a Zona Rural da Cidade, o Distrito de Caboclo, para almoçar em um restaurante rural,  Sabor Camponês. Siga as setas, veja os postes pintados de branco e chegará a um local acolhedor, onde até a tristeza pula de alegria. Sítio Caboclo – gastronomia rural Sabor Camponês. A oferta do local é a famosa galinha de capoeira à cabidela, com sucos naturais, comida caseira da melhor qualidade com muita simpatia e acolhimento. Depois do almoço descanse um pouquinho, atravesse a rua e vá para a Granja Santo Antônio, um pequeno sítio com um lindo paisagismo, que além de vender mudas de plantas, oferece uma oficina de artesanato que acontece dentro do local onde deveria funcionar o galinheiro, por isso foi denominado Aviário da Arte, pura criatividade. Finalizando sua tarde, conheça o sítio Pedra Grande, onde você faz um delicioso passeio com Vinicius. Uma leve caminhada até a Pedra Grande, famosa pelas lendas e curiosidades da Fé. Ao chegar ao topo da Pedra, com uma parada para meditação na Palavra de Deus, Vinicius contará a história de Fé do local, contemplando a paisagem.
Turismo Rural do Distrito de Caboclo é um trabalho coletivo, com a oferta diferenciada de atividades que formam um pequeno roteiro envolvendo gastronomia, artesanato e caminhada. Hora de voltar para o Hotel em Guarabira e descansar. 

17º dia - GUARABIRA

Ainda em Guarabira para acabar de conhecer e vivenciar o Circuito de Ateliês agendando as Oficinas Criativas ofertadas por esses Artistas. Inicie o dia com  Bejamim Carlos dos Santos, na Atelier Arte Sacra, especialista na criação de escultura da arte sacra. Na cidade, suas esculturas podem ser vista nos cenários da Via Sacra, na subida do Santuário Memorial de Frei Damião, composto por 45 esculturas com 1,80 de altura cada. O Ateliê do Adriano Dias de Araújo que apresenta a Arte Naif ou Arte Primitiva Moderna, que se caracteriza em termos gerais pela simplicidade ou ausência de elementos formais da “arte tradicional”. Assim são as pinturas de Adriano, onde vemos de tudo, manifestando nas telas sua inspiração. É onde percebemos claramente a religiosidade, a magia, o imaginário infantil e popular do mundo sertanejo, pinturas que realmente encantam. Depois do almoço conheça e vivencie o Atelier de Elias dos Santos, artista plástico, escultor, ceramista, especialista na criação de gravuras em cera policromada, além de pinturas de óleo sobre tela, um autodidata com mais de 30 anos de trabalho. Seguindo, vamos para mais uma opção criativa, o Atelier dos artistas Ismael Ricardo Lucena e Manuel Messias Tavares, da G&M Marchetaria. Com mais de 15 anos de experiência na arte da fabricação de objetos de Marchetaria, esses dois artesãos abrem sua Oficina de Marchetaria para apresentar e vender seus trabalhos. Você pode também montar mini quadros de marchetaria e entender um pouco desta arte que consegue juntar os mais variados tipos e cores de madeira, transformando-as em lindas peças que servem para decorar e para se divertir. Agende sua visita e conheça os mais variados formatos criativos de chocolate, prove, compre e vivencie a Oficina de Decoração do Chocolate, na empresa My Love.
Termine o seu dia conhecendo o Casarão Azul, um belo Casarão secular onde funciona a Casa de Cultura, com exposições permanentes e temporárias, e quinzenalmente as sextas-feiras a partir da 19h30, ou com agendamento, você pode assistir a apresentação de fotos e vídeos sobre locais e pessoas que fizeram e/ou fazem parte da história da cidade. 

18º dia - CAMPINA GRANDE

Hora de deixar Guarabira e seguir para Campina Grande. A oferta de meios de hospedagem é grande, e diversificada, portanto faça seu check in e agende com o Mestre Virgulima, a sua visita por essa cidade e se surpreenda com tudo que você pode conhecer e vivenciar. Virgulima é um personagem de economia criativa que se caracteriza de Lampião, é poeta, compositor, Mestre de Cerimônia em Eventos, mas conhecer Campina Grande, com esse personagem será para confirmar o que a Paraíba tem de melhor. Conheça a Bonequeira, Corrinha dos Bonecos, ou Maria do Socorro, dos bonecos mamulengos, arte popular da cultura paraibana, um espetáculo. No local você escolhe uma das diversas e divertidas oficinas, vivenciando a confecção de um boneco que você vai levar como lembrança. Seu almoço pode ser em um dos restaurantes filiados à ABRASEL ou ao Convention Bureau de Campina Grande. Para encerrar seu dia, conheça o Distrito rural de Santo Izidro. Comece visitando as Mulheres de ARUSI, um grupo de bordadeiras habilidosas, que na varanda da Casa de Palmira, podem ensinar os primeiros pontos do bordado. É fazer, comprar e levar.

Em seguida conheça “Zé de Deinha”, um lindo sítio onde você pode fazer um passeio de Charrete por Santo Izidro ou conhecer a Capelinha construída no local, conversar com esta família que conta a história do lugarejo, e em seguida tomar um saboroso Café na Sombra da Jaqueira com bolo, suco e um cenário rural inesquecível!! 

19º dia - CAMPINA GRANDE

No segundo dia em Campina Grande vamos para o Museu de Arte Popular "Três Pandeiros" onde o Instituto Rede Repente aguarda os visitantes para vivenciar várias Atividades Turísticas Criativas, como  artesanato, pintura, dança típica, cordel, teatro, produção associada local, arte, pura arte nesta manhã cheia de alegria. É prioridade conhecer o Memorial do Maior São João do Mundo, idealizado pela pesquisadora Cléa Cordeiro, ver toda a história e as informações sobre o evento que acontece em Junho nesta cidade – “O Maior São João do Mundo”. Depois do almoço, volte para o Açude, onde Virgulima e o Instituto Rede Repente,  surpreendem com o Passeio do Jackson, acompanhado por uma dupla de Embolador de Coco e em seguida aproveitar o belo Por do Sol com apresentação da  Balsa Cultural, que acontece no maior cartão postal da cidade, o Açude Velho.     

Para finalizar este dia, conhecer o produto turístico cultural denominado "Quadrilhando" – O Melhor Arraial do Mundo, organizado pela ASQUAJU – Associação das Quadrilhas Juninas de Campina Grande. Quadrilhando, acontece todo primeiro sábado do mês, apresentando as danças  juninas tradicionais e também as famosas apresentações das Quadrilhas Espetáculo. Tem comidas típicas, artesanato, roupas para alugar, casamento matuto, cantinho do guri, teatro, dança xaxado e muito mais. Mas caso não seja nesse dia que você visita Campina Grande, com agendamento, a ASQUAJU, organiza uma apresentação para você e seu grupo de turistas.

20º dia - INGÁ

Deixando Campina Grande e seguindo para a Cidade de Ingá, distante 38 km. Conheça a Oficina de Patchwork na casa da Tetéu, onde sua garagem se enche de retalhos, e entre café e retalhos, você monta seu artesanato ou compra peças muito lindas e bem acabadas para decoração. No Centro de Artesanato, localizado ao lado da Igreja Matriz,  conheça os artesanatos criativos produzidos pela artista proprietária da loja. Neste local você também encontra a Arte de Verinha,  Raio de Luz Luminárias, peças feitas em PVC que se transformam em lindas luminárias. Na loja você além de poder fazer uma Oficina de Pintura Rupestre em pequenas pedras, peça para Emília convidar seu Djalma Belo que criou um instrumento que denominou de Violata, que fará um show à parte para você. Parar almoçar, agende sua refeição no Memorial do Cuscuz e Tapioca de Lia, uma mulher que aprendeu com seus avós a arte da culinária, e agora no quintal da sua casa, simples e charmoso, recebe a todos, com um sorriso e um abraço. Depois comer um cuscuz "cabeça amarrada", com galinha de capoeira e angu de milho, o melhor da comida tradicional da Paraíba. Você jamais esquecerá a dona Lia... Após o almoço é hora de ir visitar a Associação das Artesãs Rural de Chã dos Pereira, a arte do bordado labirinto, uma técnica artesanal que consiste em desfiar o tecido e preencher os sulcos com linha dando origem aos mais variados desenhos, ou se desejar procure a casa de Dona Antonia, e ela te apresenta o Labirinto desta comunidade. Em Chã dos Pereira, visite a Fabrica de Doces Silveira e compre a deliciosa bala Nego Bom que vem embalada em sacos de Labirinto e outras delicias fabricadas no local.

Em seguida, uma visita ao Distrito de Pontina, conhecer o Memorial do Labirinto. Você será recebido por Dona Rita, que apresenta  a história do Labirinto, o passo a passo desta arte em uma sequência de fotos, e peças produzidas por esta Associação. Ao final você vai saborear os quitutes destas artesãs, onde histórias, sorrisos e abraços fazem parte da visita. Ao final dia, agende com Dennis Mota, para conhecer as Itacoatiaras Noturnas, na Pedra do Ingá, um monumento arqueológico, com inscrições rupestres entalhadas na rocha e que a noite, com uma iluminação ficam ainda mais surpreendente. Ao final volte para o Hotel em Campina Grande. 

21º dia - BOQUEIRÃO

Hora de fazer as malas, à caminho do Cariri paraibano, direto para a Cidade de Boqueirão, distante aproximadamente 56 km. Ao chegar a Cidade de Boqueirão, escolha um dos Hotéis indicados no Catálogo do SEBRAE, faça seu check in e comece sua visita pelo  Distrito do Tabuado, famoso pela fabricação de redes e tapetes. Inicie por Tabuado de Baixo, conhecendo o Sítio Auto dos Missões, onde essa família recebe em sua casa. Darciley Oliveira é a condutora local que faz um leve caminhada com você para explicar sobre a fauna e a flora, apresenta o fazer do tear, e no final serve os quitutes rurais, como "orelha de pau", trufa de rapadura, suco da fruta, tudo isso, debaixo da rede de dormir, acredita? Viva para crer. Seguindo pela estrada em direção ao Tabuado de Cima, pare no Memorial do Tear, e conheça a empreendedora Lúcia Oliveira. O Memorial foi construído “tipicamente”, para contar a história desta mulher, que aprendeu com sua mãe e que ensinou aos seus filhos, o saber do Tear, tradição passada de geração em geração.

Hoje toda família e associados se sustentam com a fabricação de redes de dormir e tapetes. É emocionante ouvir a história dessa Mulher que também representa uma Associação. Almoce no Restaurante e Pizzaria Cavalcanti, localizado no Cidade de Boqueirão. À tarde você vai conhecer o Açude Epitácio Pessoa, mais conhecido como Açude de Boqueirão. Faça um Passeio de Lancha com o “Capitão Manuel”, descobrindo os lindos e diferentes pontos e curiosidades deste Açude. Para encerrar o dia de uma passada na Garagem do Algodão – Recanto do Algodão, uma pequena fábrica que tem em seus produtos o Algodão como matéria prima. Produzindo seus próprios tecidos, que além de serem vendidos, são transformados em redes, colchas, cortinas, bolsas e outros produtos.

22º dia - CABACEIRAS

Acorde bem cedo, tome seu café da manhã e pegue a estrada para o Distrito de Ribeira em Cabaceiras, distante 36 km. Aconselhamos agendar com as Guias de Cabaceiras a visita ao local, pois as estradas são de terra batida e os caminhos são muito parecidos. A comunidade de Ribeira especializou-se na produção de artesanato em couro, produzidos em mais de trinta oficinas. No local, além de artigos típicos da cultura Nordestina como, gibão, chapéu de vaqueiro e cangaceiro, sandália Lampião e Maria Bonita entre outros, você encontra os mais variados produtos e acessórios, tudo feito em couro de boi e de bode, que são comercializados em cidades do Nordeste e de outras regiões do Brasil. De todas as Oficinas existentes, 15 estão preparadas para te receber, veja o Catálogo do SEBRAE. Um circuito criativo que você jamais esquecerá, tem foco na Produção Associada ao Turismo que faz a economia da Comunidade crescer, gerando emprego e renda.  Sugerimos pernoitar no Hotel Fazenda Pai Mateus em Cabaceiras e descanse, pois o Cariri é quente e maravilhoso, você jamais esquecerá essa paisagem.

23º dia - CABACEIRAS

Tome o café da manhã no Hotel Fazenda Pai Mateus e comece o seu dia com uma caminhada acompanhada de um condutor local de ecoturismo, para vivenciar o Lajedo de Pai Mateus, um local onde a formação rochosa tem o formato de grandes bolas de pedra. É lindo!! É maravilhoso para admirar e meditar!! É um cenário encantador, por isso, não tenha pressa. Viva esse momento, por toda a manhã!! Almoce no hotel-fazenda. Que tal comer o prato típico, bode no buraco?
Após o almoço é hora de conhecer a cidade de Cabaceira, mais conhecida como a "Roliúde Nordestina", uma referência aos mais de 25 filmes que foram produzidos no município, dentre eles, O Auto da Compadecida. Caminhe acompanhado das Condutoras Locais de Cabaceiras e conheça as histórias, os locais que serviram de cenário para filmes e as ofertas criativas como o famoso licor Xixi de Cabrita, as  Bonecas de Pano  de Cabaceiras, os Brinquedos de Madeira de Java Brinquedos e a Oficina de Saulo. Passe na Varanda de "Quinita Retalhos" e conheça seu artesanato. Depois vivencie na Oficina de Zé Pombo, como são feitos manualmente os chaveiros miniaturas de vários tipos nordestinos pelo artesão Junior. Zé Pombo é um dos artesãos mais antigos da cidade que chapéu de vaqueiro. Em seguida conheça Zé de Cila, o dublê do Padre do filme o Auto da Compadecida, que recebe os turistas vestidos de batina e chapéu de padre, e sua loja é uma mistura de mangai com fotos e histórias do local. Agende uma Oficina de Artesanato, acompanhada com um lanche, que inclui o Pão Bode e uma Keka, duas delicias produzidas na cidade. Caso não queira fazer as Oficinas, você pode ver o por do sol de algum ponto da cidade, orientado pelas Condutoras Locais de Turismo.

24º dia - DISTRITO DO MARINHO - BOQUEIRÃO

Após o check out no Hotel Fazenda Pai Mateus, siga para o Distrito do Marinho, distante aproximadamente 08 km da cidade de Boqueirão, e agende com um dos Condutores do Lajedo do Marinho a sua visita, que pode começar em um transporte conhecido como Pau de Arara, que sai da Gruta de Lourdes indo em direção ao Centro do Marinho. O local possibilita várias opções, como passeios de bicicleta ou de moto, ou escolha uma das trilhas para caminhada. Importante é que o turismo de aventura é uma atividade segura, nesse lugar. Continue no Lajedo do Marinho, almoce no restaurante local e conheça as famosas Crocheteiras do Lajedo do Marinho, que fazem das linhas, lindos produtos de crochê reproduzindo frutas e flores, nas camisetas, colchas, tapetes e bolsas.

Esse grupo de crocheteiras ficará no seu coração para sempre, pois a história de superação, transformação e empreendedorismo, através do artesanato, é um exemplo de vida.  Se prepare para subir até a Pedra do Vento e se surpreender com o local, ao som do Sax de Jeferson, apreciando o Por do Sol do Cariri.  Com agendamento, pode ser servido um delicioso café preparado pelas crocheteiras e condutores. E o mais criativo, é a oferta de um Camping Rural onde você pode acampar no Lajedo do Marinho, e dormir com as estrelas. Caso não tenha a sua barraca você pode alugar uma do camping rural. O local é totalmente adaptado para receber os visitantes de forma rural e criativa. Possui fogão à lenha, banheiro ecológico e você chega ao local, subindo  por um caminho de pedras que serve para captação da água de chuva, história contada pelos Condutores durante o passeio. Esse local encanta pelo formato das rochas e a beleza da natureza, é um cenário onde você sente a presença de Deus. 

25º dia - LUCENA

Hora de deixar o Cariri Paraibano, fazer as malas, e pegar a Estrada para o Litoral Norte, direto para a cidade de Lucena, distante aproximadamente 200 km. Chegando em Lucena, escolha um dos dois Hotéis indicados no Catálogo do SEBRAE, faça o check in, aproveite e vá almoçar. Os restaurante têm cardápio variado, as especialidades são os peixes e frutos do mar. Depois do almoço tire algumas horas para descansar um pouco. A tarde, comece seu roteiro, conhecendo a linda Igreja de Nossa Senhora da Guia, uma construção em estilo Barroco Tropical e de onde se tem uma linda vista do Litoral.

Em seguida, vá conhecer a Caiçara Cultural, a primeira caiçara cultural do Brasil, construída especificamente para contar um pouco da história da pesca artesanal. O projeto de decoração é do arquiteto Jonas Lourenço, utilizando os equipamentos utilizados pelos pescadores da cidade. No final da tarde, sugerimos conhecer a Tapiocaria e Doceria Xodó de Mulher, onde a decoração, destaca o ícone mais importante do município, que é a produção de coco.

26º dia - LUCENA

Inicie seu dia com um passeio na lancha do Arlindo para conhecer as Piscinas Naturais de Lucena, paraíso, inacreditável, imperdível. Basta verificar o horário da maré. Depois do almoço, é hora de conhecer a zona rural de Lucena. Para que você possa fazer essas visitas é necessário que seja contratado um dos Condutores Turísticos indicados pelo Catalogo. Comece pelo sitio de Seu Dedé, conheça um exemplo de agricultura familiar que trabalha com orgânicos certificados. Visite a propriedade, aprenda um pouco sobre produtos orgânicos, beba um suco natural de fruta do local, saboreie uma fruta e sinta a diferença do gosto e da consistência de um produto natural e orgânico. 

Em seguida conheça as ruínas da Igreja de Bonsucesso, uma Igreja secular, tombada pelo Patrimônio Histórico, localizada no meio da mata. Para chegar às ruínas você fará uma pequena caminhada, atravessando um riacho de águas limpas e claras. Aproveite e peça para ao Condutor para ir até o Mirante, que fica apenas à 500 metros da Igreja e de onde se tem uma das mais lindas vistas do Litoral de Lucena.

Na volta, pare na casa de Tó, um artesão que produz lindos pássaros e outros objetos utilizando como matéria-prima o coqueiro. Com certeza você irá se encantar e comprar algumas peças. Finalizando o dia, visite o Centro de Artesanato de Lucena, faça uma das oficinas ofertadas e se delicie com um saboroso e refrescante Açaí uma das especialidades da Comedoria na Kenga.     

27º dia - CABEDELO

Arrume as malas, faça o check out e pegue a estrada para a travessia de Balsa (ferry boat). No caminho conheça a Associação Mãos que se Ajudam, que produz a Cocada na Kenga,  a mais famosa da Paraíba e visite a sua lojinha de artesanato. Em seguida, na Balsa que faz travessia de Lucena para Cabedelo, se encante com a paisagem e se apaixone com o Coral Meninos e Meninas de Lucena que se apresentam com a Atividade Criativa, "Cantando na Balsa". São crianças que fazem parte de um Projeto do Instituto Mar de Esperança. Caso não seja o dia da apresentação, que acontece duas vezes ao mês, agende com Rejane Pinto e entenda o Projeto e leve no coração as vozes que encantam. Chegando em Cabedelo, escolha uma das várias opções de hospedagem que se dividem entre João Pessoa e Cabedelo, pois,  os destinos são perto um do outro.
Faça o seu check in e saia para almoçar. Escolha uma das várias opções entre os restaurantes que estão no  Catálogo do Caminhos do Sabor de Cabedelo e saboreie um dos pratos que são ofertados no cardápio. Depois do almoço escolha uma das Praias de Cabedelo e aproveite.

28º dia - CABEDELO

É dia de conhecer o criativo Atelier de Fábio Smith e a sua Arte em Barro, no Centro Cultural Bicho de Pé, na Praia do Poço. Este Artista Ceramista é muito conhecido e respeitado por suas obras, que trabalha em parceira com Leila Smith também ceramista. Em seguida conheça a Associação Farol de Cabedelo, agende com Tereza Júlio ou Francis, e aprenda a fazer a uma bijuteria ou chaveiro com escamas de peixe Camurupim. Você irá se surpreender e se encantar. Se desejar peça para fazer uma Oficina de Flores de Escama de peixe e leve para casa sua flor. Para almoçar escolha um dos Restaurantes indicados no Catálogo elaborado pelo SEBRAE. Sob agendamento, vivencie o Espaço Exclusiva Criação de Decoração da Artista Adriana Lécia, um espaço que liga arte, decoração e reaproveitamento de produtos. 

29º dia - CABEDELO

Consulte a Tábua da Maré para decidir seu dia, conheça Areia Vermelha, uma faixa de areia em alto mar, cercada por corais e que só aparece quando a maré está baixa. São várias as opções de catamarãs que levam a esse paraíso. Aproveite o que Deus fez de belo e fique na água durante todo o tempo. Sinta como faz bem para o corpo e para alma. Sugerimos três opções, para você escolher uma, ou seja, a que mais interessar faça seu agendamento. A primeira é fazer uma aula de Jet Sky que vai te possibilitar tirar a sua Carteira Náutica. A segunda, é fazer uma Pesca Esportiva no Rio Paraíba e tentar pescar um Tarpon ou Camurupim, um peixe brigador. A terceira é poder fazer uma Aula de Mergulho com um dos maiores profissionais do Estado.

30º dia - CABEDELO

Hoje é seu último dia neste Roteiro Integrador do Turismo de Vivências e Experiências com foco na Produção Associada. Prepare-se então para conhecer o coração de Cabedelo, no Rio Paraíba e passe o dia na Ilha da Restinga, local extremamente bem preservado. A chegada é de  barco. Aproveite e já vá registrando as belas fotos da travessia, e ao chegar na Ilha você irá se surpreender com o cenário de natureza que você guardará por muito tempo. Caminhe na ilha, reserve o  almoço e se deixe levar no balanço da rede de dormir, ao som do vento e do movimento das águas. Só tem um problema, talvez você não queira deixar esse paraíso. E para se despedir, dos 30 dias de turismo na Paraíba, siga para a Praia do Jacaré, conheça as lojas e a Feirinha de artesanato, assista aos dois espetáculos do famoso Jurandy do Sax, ao Por do Sol, o mais lindo do Brasil, ao som do Bolero de Ravel e se encante com o Espetáculo Noturno da Ave Maria. Essa é a PARAÍBA criativa, inovadora, que emociona, que promove os valores culturais, que é autêntica, que proporciona vivências únicas e coloca na vitrine os talentos do lugar. A Paraíba é um dos primeiros Estados do Brasil que tem roteiro para 30 dias sem repetir as atividades. Esperamos que na sua bagagem de volta estejam os melhores momentos de encantamento e emoção.  Porque você merece o melhor da vida!

Regina Medeiros Amorim

Mestre em Visão Territorial e Sustentável do Desenvolvimento,

Pós graduada em Gestão e Marketing do Turismo,

Gestora de Turismo do SEBRAE

Fonte: turismoemfoco.com.br



quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Areia ganha seu primeiro programa exclusivo para as crianças


Em época de alta tecnologia, redes sociais, jogos eletrônicos, você apostaria em um programa de rádio? Você pensaria em investir em um programa infantil em uma emissora de rádio? Pois bem, Cleysy Coutinho, que administra um salão de beleza infantil em João Pessoa, desde sábado (04) começou a investir em um programa de rádio para as crianças no PBFM - 105,3 FM, em Areia, e que chega em todas as cidades da região do brejo.

O programa Radinho de Areia será transmitido das 8h às 10h todos os sábados e tem uma programação destinada exclusivamente para as crianças, desde as músicas, debates e ações nas ruas. Cleysy disse que a ideia surgiu após ter participado de um programa no período do Dia das Crianças, em outubro. A repercussão em Areia foi tão grande, segundo ela, que as mães sugeriram novas incursões na programação da PBFM.

A produtora disse que já nutria a ideia de criar um espaço para o programa, e que o incentivo das mães das crianças foi o empurrão que precisava. “Nem pensei que a direção da emissora iria aceitar abrir espaço de duas horas para um programa infantil”, admitiu Cleysy, que tem três filhos pequenos, o maior deles de 10 anos de idade.

E é justamente o primogênito dela que tem um importante espaço no programa. Ele é o Doutor Leitura, que lê livros infantis, aguçando a curiosidade de outras crianças. Outro personagem marcante do roteiro é a Professora Mali, que discute temas pertinentes em relação à saúde e segurança das crianças, como dicas de higiene, cuidados pessoas, entre outros.

A parte musical é a mais interessante. Cleysy disse que todas as músicas que tocam na emissora são de grandes nomes da música popular brasileira, que cantaram para crianças, como um trabalho de Toquinho, que tem um CD exclusivo com canções para a meninada. “Há cantigas de roda, canções de grupos infantis também”, revelou a produtora.

O Radinho de Areia participou da programação do Festival Sons e Sabores, promovendo uma série de brincadeiras na praça principal da cidade, sorteando brindes e distribuindo alegria. Cleysy disse que os comerciantes locais estão apoiando e acredita que o programa traga maior autoestima para as crianças e um resgate do rádio, que tem sucumbido diante de outras tecnologias, principalmente, nas grandes cidades.


Fábio Cardoso - Foto: Beth Ribeiro
turismoemfoco.com.br

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Sons e Sabores foi encerrado com sucesso, mas precisa de ajustes para 2016

Terminou neste final de semana a terceira edição do projeto cultural Sons e Sabores, que envolveu seis cidades do brejo paraibano - Bananeiras, Pilões, Remígio, Alagoa Grande, Areia e Solânea. Areia, cidade palco reuniu oito empreendimentos voltados para o turismo, integrantes da Associação Turística Rural e Cultural - Atura revelou que tem entendido que a atividade pode ser um caminho para sair da crise e, principalmente, aumenta o autoestima das pessoas.

Eduarda Coscarelli, diretora da PEC Eventos Corporativos, organizadora do evento por meio de contrato com o Sebrae da Paraíba, no entanto, afirmou que a próxima edição do Sons e Sabores precisará sofrer alguns ajustes a começar da divulgação. Na opinião dela, o Sons é um projeto vitorioso, tem a participação dos moradores da cidade, mas ainda não conta com o devido apoio do setor público em coisas básicas, como segurança e limpeza. Em Areia, para se ter uma ideia, a segurança foi feita por uma empresa privada contratada.

A empresária pretende ampliar os dias de permanência dos chefs de cozinha contratados para ministrar cursos com os empresários do setor de alimentação das cidades que fizeram parte do projeto. Conforme impressão dela, os chefs precisam de mais tempo maior com os empresários do setor de gastronomia para interagir melhor, realmente dar uma consultoria. No modelo deste ano, eles chegavam no dia do evento, ministravam as alunas práticas de poucas horas e depois iam embora.

Um ponto que foi unanime entre todos que participaram do projeto cultural deste ano foi a ausência do poder público e não apenas financeiramente, mas no básico, como infraestrutura, segurança e limpeza. Eduarda Coscarelli admite que a crise tem atrapalhado as ações municipais, mas que os prefeitos ainda não apostam no turismo como prioridade. Não fossem O Sebrae e os empresários, provavelmente o projeto em existiria.

Eduarda Coscarelli não soube informar se na edição do próximo ano será ampliada, com a participação de novos municípios. A empresa dela foi contratada pelo Sebrae para produzir o projeto deste ano, e trouxe uma série de inovações, a começar da criação de espaços reservados para as empresas, palcos menores para pequenas apresentações de shows com artistas locais, e uma feirinha de artesanato paralela, também que artesãos locais.

Fábio Cardoso

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Servidora quebra protocolo e agradece no Pleno gesto do Presidente em favor dos serventuários

Servidora Lúcia Margarida da Silva Leal
A servidora Lúcia Margarida da Silva Leal, num gesto inédito de atitude e sem protocolo, usou a tribuna do Egrégio Tribunal Pleno, durante sessão administrativa realizada nesta quarta-feira (25), para agradecer, em nome de todos os servidores requisitados que prestam serviço no Poder Judiciário paraibano, os benefícios salariais concedidos pelo presidente Marcos Cavalcanti, aos serventuários da justiça.

“Estou aqui para, em nome de todos aqueles servidores requisitados, agradecer ao desembargador Marcos Cavalcanti por tudo que ele tem feito em termos de benefício aos serventuários da justiça, especialmente para os requisitados, concedendo aumento no auxílio alimentação , inclusive com retroativo ao mês de fevereiro”, ressaltou a servidora.

Após os agradecimentos, a servidora desejou a todos os integrantes da Egrégia Corte de Justiça um ‘Feliz Natal e um Próspero Ano Novo’.

O presidente Marcos Cavalcanti, estendeu as palavras elogiosas recebidas da servidora à Corte de Justiça. “Os agradecimentos eu os remeto a todos os desembargadores aqui presentes, pois foram eles os responsáveis direto por aprovar de forma unânime a resolução que concede os benefícios concedidos aos serventuários da justiça na paraíba”, comentou.


Por Clélia Toscano

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Mulher de Areia

Guerreira. Determinada. Lutadora. Idealista. Líder. Coordenadora.

Não me refiro a nenhuma personagem da novela que teve como protagonistas as irmãs Ruth e Raquel. Estou falando de uma heroína real, que com sua liderança nata e com a ajuda do turismo, colocou comida na mesa de uma comunidade inteira. Formada em História, Luciana Balbino, coordenadora do projeto da Associação para o Desenvolvimento Regional da Comunidade de Chã do Jardim, localizada em Areia, no brejo paraibano, viu no setor e no empreendedorismo a saída na busca de melhores condições de vida para uma população carente de sua região.

O restaurante remete a casa da vó para uns, a casa no sítio para outros. No entanto, o ambiente e a atmosfera agrada a todos
Distante a 118 km de João Pessoa e 45 km de Campina Grande, a comunidade Chã do Jardim está inserida dentro do último 1% de Mata Atlântica de brejo de altitude existente no Estado da Paraíba. Por esse motivo, o local sempre foi destino ideal para os amantes de trilhas ecológicas e selvagens.

Criado em 2006, o projeto Doce Jardim veio para mudar a rotina e a vida dessa população.  Tudo começou com a criação do programa “Piquenique na Mata”, com foco principalmente nos turistas que passavam pelo local e com objetivo de gerar divisas para os moradores da Chã de Jardim. Em seguida, veio a reabertura da fábrica de polpas de frutas. O estabelecimento foi construído em 1996, mas ficou desativado por dez anos.

Depois disso, tendo como base a palha de bananeira, algumas mulheres da Chã do Jardim ingressaram na fabricação de artesanatos. E, por fim, há dois anos foi inaugurado o Vó Maria,  restaurante onde os pratos são preparados com hortaliças orgânicas produzidas ali mesmo, sob a supervisão de quem senta em uma das suas cadeiras artesanais e admira o ambiente rústico. A decoração? Uma autêntica e aconchegante casa de vó.

Entrada do espaço onde está localizado o restaurante, a fábrica de polpa e a loja de artesanatos

 
Loja de artesanato. Eu comprei um vidro de pimenta por R$ 8. A vontade é de levar tudo o que se vê pela frente

EMPREGOS E GERAÇÃO DE RENDA

A comunidade Chã do Jardim emprega diretamente 60 empregos, na fábrica de polpa de fruta, artesanato, restaurante Vó Maria e na recepção de turistas, que por sua vez, têm uma interação profunda com a comunidade. No entanto, o impacto econômico atinge indiretamente mais de 200 pessoas.

Hoje, só a fábrica de polpa, por exemplo, produz  230 kg de polpa por dia. Tudo é certificado e vistoriado pelo Ministério da Agricultura. Polpa orgânica, sem conservantes, sem água e sem nenhum produto químico. Além de ser usado no restaurante, a polpa também é vendida aos turistas por aproximadamente R$ 10 o pacote e comercializada para restaurantes e hotéis de Areia e região.

O artesanato com palha de bananeira gera principalmente bolsas para mulheres, que são vendidas entre R$ 10 e R$ 50 e ganharam nome além das terras paraibanas. O produto é importado é facilmente encontrado em outras regiões do País, como por exemplo, Porto Alegre.

“Fico feliz em poder ajudar a comunidade Chã do Jardim. Por quantas vezes eu não soube que essas famílias não tinham o que colocar para comer em suas mesas. Com a ajuda da associação, do Sebrae e do Governo da Paraíba, essas pessoas conseguem trabalhar e gerar suas próprias receitas”, explica Luciana, com os olhos cheios de lágrimas.

E o resultado disso pode ser mensurado pelos diversos prêmios concedidos à associação. Um deles é bastante conhecido do nosso setor. Luciana foi premiada na terceira edição do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade. “Graças ao turismo e a tudo o que eu e as demais pessoas da comunidade aprendemos nos cursos do Sebrae, nossa vida melhorou muito nos últimos anos. Prova disso é o sucesso que vemos diariamente, quando ônibus lotados de turistas param aqui para nos conhecer. Já registramos em um único dia, na hora do almoço, mais de 300 visitantes, sem contar os 100 que não quiseram esperar e foram embora”.

Olha aí Mônica Samia, Magda Nassar e outros colegas da Braztoa.

O pôr do Sol visto do restaurante

Luciana Balbino, assumiu seu espírito de liderança para ajudar uma comunidade carente

Eu não me aguentei e pedi para tirar foto com a dona de uma das histórias mais bonitas que eu já ouvi
Fonte: blog.panrotas.com.br
Fotos: blog.panrotas.com.br