sexta-feira, 24 de abril de 2015

O homem mais alto do Brasil, o paraibano Ninão se casou com uma mulher de 1,52 m de altura na Paraíba

Aos 28 anos, Joelison conta que chegou inclusive a abandonar os estudos porque se sentia envergonhado por ser tão alto. Ele não gostava dos olhares curiosos que atraía e não tinha a mínima vontade de interagir com as outras pessoas.

A história curiosa do brasileiro Joelison Fernandes da Silva está circulando o mundo todo. O fato é que ele é simplesmente o homem mais alto do país – tem 2,23 m de altura! –, e depois de uma vida cheia de bullying e dificuldades, agora está feliz por ter encontrado sua alma gêmea.
Aos 28 anos, Joelison conta que chegou inclusive a abandonar os estudos porque se sentia envergonhado por ser tão alto. Ele não gostava dos olhares curiosos que atraía e não tinha a mínima vontade de interagir com as outras pessoas. “Eu me via como uma pessoa anormal”, resumiu ele, em declaração publicada no Huffington Post.

A razão do crescimento desenfreado estava em um tumor benigno que Joelison tinha na hipófise. Há sete anos, ele passou por uma cirurgia, que retirou o tumor e, consequentemente, o impediu de crescer mais ainda.

Desde então, os problemas de autoestima diminuíram e Joelison passou a viver sem o medo constante de ficar cada vez mais alto. E aí acabou conhecendo Evem Medeiros, que hoje tem 21 anos e é sua esposa. Detalhe: Evem, que já é considerada uma pessoa de estatura baixa, fica ainda menor perto do namorado, afinal estamos falando de uma diferença de mais de 70 cm de altura entre os dois! Pois é: a alma gêmea de Joelison tem 1,52 m de altura.

“No dia em que eu a vi, eu acho que foi amor à primeira vista”, disse o eterno namorado apaixonado. Evem conta que também é apaixonada por Joelison desde o início, mas explica que precisou lidar com a preocupação do pai, que, segundo ela, quase teve um “curto-circuito” quando soube da novidade.

“Ele me disse ‘Filha, eu disse para você arrumar um homem, um grande homem, mas você exagerou’”, contou ela. No final das contas, o que importa é que os dois estão casados, vivendo uma vida juntos e enfrentando algumas dificuldades também, é claro, como acontece com qualquer casal.

“Algumas pessoas gostam de conversar sobre o tamanho dos meus sapatos e então imaginam quão grande meu membro deve ser. Eu acho que o tamanho do meu pé é uma propaganda enganosa. Nossa vida amorosa é normal. A gente se adapta. Na horizontal, todo mundo fica do meu tamanho”, brincou Joelison, ao falar sobre uma das perguntas que mais escuta por aí.


Blog do Vavá da Luz

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Ciclista morre após ser atropelado por carro na estrada de Cabedelo

Local do acidente
Um homem morreu após um acidente na manhã deste domingo (19), na estrada de Cabedelo, Região Metropolitana de João Pessoa. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele conduzia uma bicicleta e foi atropelado por uma Hilux de cor branca.

A vítima morreu na hora, e foi identificada como Erinaldo de Brito Silva, de 35 anos. Ainda não há informações sobre o que teria motivado o acidente.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado até o local. Em seguida, O Instituto de Polícia Científica (IPC) realizou a perícia.

Erinaldo de Brito Silva era natural da cidade de Areia, o seu sepultamento aconteceu as 8:00 da manhã desta segunda feira (20), no cemitério São Miguel na cidade de Areia  
Erinaldo Brito Silva

Imprensa do Vale do Mamanguape é censurada pelo Governo do Estado; assessoria do governador proíbe repórteres de perguntar a RC durante Orçamento Democrático

A imprensa do Vale do Mamanguape passou por um ‘vexame’ durante o ciclo de debates do Orçamento Democrático Participativo Estadual, realizado nesta sexta-feira (17), na cidade de Mamanguape (PB).

Conforme publicação do site PB Vale, houve ‘censura prévia’ por parte da assessoria do governador Ricardo Coutinho (PSB). A ordem era para que os repórteres evitassem perguntas de cunho político.

Em mais uma tentativa de levar respostas à sociedade, a imprensa foi impedida de continuar a cobertura por insistir em perguntar sobre aquilo que RC "não estudou para responder" na ocasião sem comprometer sua imagem na mídia.

“Recebemos um sonoro pedido da assessoria para que evitássemos perguntas e encerrássemos mais uma tentativa de fazer nosso trabalho”, afirmou Alex Figueiredo, da Rádio Litoral Norte.

Já o jornalista Felipe França, do portal de notícias PB Vale, confirmou que até foi puxado pela camisa enquanto perguntava sobre o recapeamento asfáltico da PB-041 que liga Sapé a Baia da Traição.

“Depois que o governador falou sobre o orçamento democrático na rápida entrevista, contrariando a ordem da assessoria, fiz uma única pergunta sobre o recapeamento do asfalto da PB-041 que liga as cidades de Sapé até Baía da Traição, ele respondeu que não falaria de início de obras sem que antes tivesse uma ideia clara do novo cenário econômico nacional. No momento, um assessor puxava minha camisa por trás pedindo pra eu parar de perguntar”, relatou.

Outro profissional de imprensa, o radialista Álvaro Costa, também foi ignorado pelo chefe do Executivo Estadual, que mais uma vez evitou responder alegando que o assunto teria sido tratado na planária do Orçamento Participativo.

“Perguntei sobre o processo das casas da Cia. de Tecidos de Rio Tinto, que foi uma promessa de campanha do governador ao passar na cidade. Ele gesticulou com as mãos e balançou a cabeça pedindo pra parar, alegando que o assunto teria sido tratado na plenária do OD”, disse Álvaro Costa, da Interação FM.

“De acordo com release publicado pela Secom estadual, as audiências do Orçamento Democrático são um espaço de diálogo direto da população com o Governo, com o objetivo de debater sobre as reivindicações populares e de prestar contas daquilo que vem sendo desenvolvido, em obras, ações e serviços, nas regiões. No que parece, o diálogo democrático e livre, neste caso, só não foi possível com a imprensa, principal responsável por levar a informação aos cidadãos”, diz Nota de rodapé da editoria do PB Vale.

É. Parece, então, que ao ‘fugir das perguntas dos repórteres’ – falo daqueles 'não comprados', que mantêm uma linha de isenção -, o Governo de RC deu uma clara demonstração de quanto é “novo, aberto ao diálogo e democrático, inclusive no trato com a imprensa”.

Neste sábado (18), o governador Ricardo esteve cumprindo agenda em Guarabira. Membros da imprensa local foram ao evento. Ninguém, porém, ousou perguntar ‘o que estava fora do script do Governo’: e quem é doido de perder a ‘boquinha’? O Estado paga bem.

#Política

cadernodematerias.com


Brasil precisa recuperar orgulho de sua origem, dizem indígenas

Abertura das comemorações do Dia do Índio no Memorial dos Povos IndígenasElza Fiuza / Agência Brasil
Demarcação das terras indígenas e reconhecimento dos brasileiros sobre a importância dos índios para o país ainda continuam sendo os desafios principais do Dia do Índio, comemorado hoje (19). Representantes dos povos indígenas que costumam viajar a Brasília para mobilizações e protestos ressaltam a importância que a data tem para a conscientização da sociedade, mas alertam que o tema não deve ficar restrito à celebração de hoje.

O cacique Piracuman, da etnia Yawalapiti, mora no Parque Indígena do Xingu, no norte de Mato Grosso, e costuma representar os povos do Alto Xingu nos eventos que ocorrem no Brasil e no exterior. Ele afirma que embora o branco comemore a data no dia 19 de abril, para o índio as comemorações ocorrem diariamente, a cada trabalho de plantio, pescaria ou outra atividade, como construção de uma oca (habitação indígena brasileira).

Apesar de classificar a comemoração como importante para afastar espíritos ruins e doenças, o irmão do cacique Aritana, o líder mais importante dos povos do Xingu, explica por que mais de mil pessoas, representando 200 etnias, vieram a Brasília na última semana. “Aquele pessoal que estava apontando flechas para a Casa [Palácio do Planalto] lá era para [todo mundo] entender que o índio está preocupado, que o Congresso não está olhando para índio. Aquela Casa só está olhando para progresso, só para desmatamento, plantação, construção de hidrelétrica nos rios. E os índios, que estão há muito tempo aqui, estão sendo ameaçados”, diz.

Piracuman afirma que as mudanças do clima já estão afetando as próprias terras indígenas, como a chegada da chuva fora de época, a devastação de áreas próximas a rios. Segundo ele, em 2014 um tornado atingiu a região pela primeira vez, danificando casas e derrubando árvores. “A demarcação é importante não só para nós, é para todos. Nós conhecemos a floresta muito bem. Ela é para nós um filtro, tem oxigênio, muitas ervas medicinais. Hoje, os produtores não estão mais respeitando a nascente. O desmatamento chega até lá. Não deixa nem um pezinho de árvore ali. Quando seca, começa a faltar água. Gostaria de pedir para os produtores fazeremr reflorestamento no lugar que eles estragaram”, diz o cacique, lembrando que há muita soja no estado onde vive.

Álvaro Tukano mora em Brasília e assumiu simbolicamente neste domingo (19) a direção do Memorial dos Povos Indígenas. Pertencente aos povos Tukano, no interior do Amazonas, ele acredita que a homologação de três terras indígenas anunciada pelo governo federal para esta segunda-feira (20), é um dever do Estado.

“As terras indígenas, ou de toda a Amazônia, é que produzem evaporação, que distribuem água por todo Brasil e a América do Sul. Por isso que o papel da [presidenta] Dilma [Rousseff] é demarcar, homologar, combater a violência. É cumprir as leis internacionais, não construir as hidrelétricas. É essa a sabedoria que ela tem que preservar”, defendeu.

Duas terras indígenas serão homologadas no estado do Amazonas: vão atender a reivindicações dos povos Kaixana e Mura. Os Arara e Juruna receberão a terra indígena Arara da Volta Grande do Xingu, localizada no município Senador José Porfírio (PA), homologação que faz parte do licenciamento para a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Para Piracuman, o motivo é que parte dos territórios ocupados atualmente pelos índios será alagada com a ativação da usina.

“Nós, índios, não esquecemos onde é nosso lugar tradicional. Os índios não vão esquecer aquilo ali. Eles podem mudar para onde vai ser homologada, mas um dia ele vai querer voltar pra lá, onde tem parentes enterrados. A gente nunca esquece”, afirmou o cacique, que também pede que os profissionais a serem contratados para trabalhar na Fundação Nacional do Índio (Funai) tenham experiência para lidar com os povos indígenas e ligação com o meio ambiente.

Daiara Tukano, professora da rede pública do DFElza Fiuza / Agência Brasil
Daiara Tukano, empossada recentemente como professora da rede pública do Distrito Federal, disse que os brasileiros precisam se orgulhar da sua origem indígena. Ela é formada em artes visuais pela Universidade de Brasília e foi admitida em concurso público da Secretaria de Educação. De acordo com Daiara, há um problema histórico de legitimidade dos povos indígenas.

Segundo a indígena, os povos originários do Continente Americano sofrem hoje uma espécie de “apagamento social”.

E acrescentou: “O indígena é reconhecido apenas quando mora na aldeia. [Só que] estamos em todos os espaços, nas universidades, trabalhando nas cidades e também no campo. É importante que o Brasil recupere o respeito e o orgulho [pelo índio]”, disse.

Be Sociable, Share!


Falta de água pode aumentar índices de infestação da dengue na Paraíba

Mal armazenamento da água pode ser um dos motivos. Paraíba tem 53 cidades com risco de surto da dengue.

A falta de água pode estar contribuindo para os altos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti em cidades paraibanas. Segundo a vigilância ambiental, os focos dos mosquitos têm crescido em algumas cidades da Paraíba e o motivo, na maioria das vezes, é o mal armazenamento da água.

No último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), divulgado pelo Ministério da Saúde no mês de março, 53 cidades da Paraíba apresentavam risco de surto da dengue, com índice de infestação de mais de 4%. Diante da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, o índice de 1% é considerado satisfatório e 1% e 3,9%, a situação é de alerta.

A cidade de Puxinanã, no Agreste do estado, tem cerca de 13 mil habitantes e apresenta um dos maiores índices de infestação entre as cidades com risco de surto de dengue na Paraíba, com 10,3%. O supervisor da vigilância ambiental do município, Carlos Alberto, acredita que a seca faz com que as pessoas armazenem mais água dentro de casa e que isso tem aumentado os focos do mosquito na cidade.

“Eu atribuo este índice ao colapso no abastecimento de água na cidade. Com isso, aumenta a quantidade de reservatórios nos domicílios e consequentemente aumentam os focos. Estes depósitos são reabastecidos duas vezes por semana com o carro pipa e a gente aplica o larvicida para a duração de dois meses. Quando a pessoa reabastece o depósito pela segunda vez na mesma semana, o larvicida já não faz mais efeito. Por isso que todas as vezes que a gente passa nestes domicílios, a cada dois meses, aumenta o índice de infestação predial”, explica Carlos Alberto.

A situação também é verificada em municípios do Sertão paraibano. Na cidade de Desterro, cujo último índice de infestação registrado foi de 17,5%, os agentes da vigilância ambiental encontram outro problema, além do mal armazenamento da água. “São tanques de difícil acesso e casas que estão fechadas. Às vezes o dono mora na zona rural ou está viajando e acaba que no dia da visita a gente não tem acesso”, explica a agente Maria Célia.

De acordo com o secretário municipal de saúde, Rubens Marques, o armazenamento de água de forma inadequada também é uma das razões para o aumento nos focos. “O cuidado para evitar a dengue não é só um trabalho nosso enquanto secretaria. Os moradores têm que ter cuidado em casa, olhar recipientes e vasos com plantas, cubrir os tambores, potes e caixas de água. Este tem que ser um trabalho coletivo”, diz.

O agente Fernando Firmino visitou uma das residências na cidade de Puxinanã e mostrou como cuidar para evitar que o mosquito entre nos reservatórios. “Colocar uma bacia para tampar um tonel não faz uma vedação perfeita. A bacia é provisória e o mosquito, por ser um inseto pequeno, vai entrar de todo jeito. O ideal é usar uma tampa que feche completamente ou colocar um pano ou plástico com uma liga prendendo em volta do tonel para ele ficar 100% fechado”, recomendou.

Veja a lista das cidades em situação de risco de epidemia da dengue na Paraíba:

Água Branca (11%), Alagoa Grande (6,5%), Alagoa Nova (7,5%), Amparo (4,3%), Aparecida(4%), Araruna (5,4%), Areia de Baraúnas (4,6%), Barra de Santana (4,1%), Bom Jesus(11,1%), Bom Sucesso (11,5%), Brejo dos Santos (8,3%), Cacimba de Dentro (4%), Caiçara(4,3%), Cajazeiras (9,4%), Campina Grande (4,4%), Caraúbas (7,2%), Carrapateira (5,3%),Catolé do Rocha (19,2%), Desterro (17,5%), Emas (4,6%), Fagundes (6%), Frei Martinho (5%),Imaculada (8,1%), Itabaiana (6,5%), Itatuba (5,2%), Jericó (4,7%), Juazeirinho (7,2%),Juripiranga (5,6%), Lagoa Seca (7,1%), Malta (11,4%), Maturéia (4,6%), Monteiro (6,1%),Mulungu (4,4%), Ouro Velho (8,2%), Patos (5%), Pedra Lavrada (5,3%), Picuí (7,2%), Puxinanã (10,3%), Queimadas (4,1%), Riachão do Poço (4,1%), Riacho dos Cavalos (6%), Salgadinho(4%), Santa Terezinha (5,6%), São Bento (7,9%), São José de Caiana (4,5%), São José dos Ramos (4,1%), São Sebastião do Umbuzeiro (6,7%), Sapé (4,4%), Seridó (7,4%), Serra Grande (4,5%), Solânea (7,6%), Sousa (4,3%), Teixeira (6,9%).


G1 PB


Governo lança projeto para incentivar turismo sustentável na reserva dos Potiguaras

O Governo do Estado lançou, neste domingo (19), Dia do Índio, o projeto Nas Trilhas dos Potiguaras, no município de Baía da Traição, Litoral Norte da Paraíba. A solenidade aconteceu  na Aldeia São Francisco. O projeto tem o objetivo de valorizar a cultura, além de incentivar a economia e o fortalecimento do turismo sustentável na área dos Potiguaras.

Na ocasião, foi feita a entrega de tablets para alunos do ensino médio das escolas estaduais, além de realizada uma capacitação na língua Tupi para professores de escolas indígenas que já estão atuando com a língua, e ainda, a entrega do livro Educação Ambiental – Experiências e Práticas dos professores e alunos Potiguaras. O governador Ricardo Coutinho foi representado pela secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares.

Sobre o Nas Trilhas dos Potiguaras, o secretário Executivo de Turismo do Estado, Ivan Burity, afirmou que o governador Ricardo Coutinho elaborou o projeto para atender todo o Litoral Norte, porque a cultura Potiguara não se restringe apenas às aldeias ou a reserva indígena. “A cultura Potiguara dominou todo o Litoral Norte da Paraíba, durante séculos, e aqui foram escritos os primeiros capítulos da História do Brasil”, ressaltou.

Com o propósito de valorizar a história, o Governo do Estado criou a infraestrutura para que a região possa ser conhecida. Para que as pessoas pudessem ter acesso às trilhas, foi construída a estrada de Forte Velho e a estrada de Barra de Camaratuba, formando dois portais a essa área do Litoral Norte. Segundo o secretário, ainda serão feitas melhorias de recapeamento na rodovia de Lucena e da Baía da Traição.

“Com essas quatro rodovias, nós poderemos começar a explorar o grande potencial do ecoturismo, do turismo sustentável que essa região oferece. Afinal, ao longo desses 14 quilômetros de litoral não encontramos só a cultura indígena Potiguara, mas grandes reservas ambientais”,  lembrou. 

Ainda segundo ele, essas áreas vão se transformar em um grande roteiro ligando os pontos históricos às manifestações culturais locais, para que seja montado o guia [Nas Trilhas dos Potiguaras] para quem deseja explorar a região”, explicou.

O local está repleto de praias belíssimas, rios, lagoas, trilhas, comunidades, além de uma rica gastronomia com tradição indígena. “O objetivo do governador Ricardo Coutinho é unir tudo isso afim de promover o desenvolvimento sustentável do turismo na região”, enfatizou o secretário.

Empreendedores – Os índios que tiveram acesso ao Projeto Empreender e que sobrevivem do artesanato, agradeceram a oportunidade e afirmaram que nunca tiveram acesso às linhas de crédito. Uma das beneficiadas pelo projeto, a potiguara Neuza Maria disse que tem a oportunidade de aumentar os negócios por causa do programa. Ela confessou que se sente feliz em ser uma mulher que produz e gera renda para a família. Neuza vende acessórios artesanais.

O cacique Alcides disse que os Potiguaras estão de parabéns porque têm acesso ao Governo do Estado. “Pra gente, as políticas sociais e públicas neste Governo estão abertas nas questões de infraestrutura, pavimentação, agricultura e educação. Todos esses benefícios mostram o interesse em promover o desenvolvimento sustentável dos povos Potiguaras da Paraíba e todos reconhecem os esforços”, comemorou o cacique.
 

Fonte: Araruna Online, com Secom-PB

Paraíba deve receber 33,4 mil turistas no feriado de Tiradentes

O feriado nacional de 21 de abril, dia de Tiradentes, vai movimentar os principais destinos turísticos brasileiros. A Paraíba deve atrair 33,4 mil viajantes e registrar uma movimentação econômica extra de R$ 37,8 milhões, de acordo com projeção feita pelo Ministério do Turismo.

O impacto econômico dos seis feriados nacionais na Paraíba é estimado em R$ 253,1 milhões. As folgas prolongadas – geradas pelo calendário de 2015 – vão motivar 223,5 mil viagens para o estado, com destaque para o feriado de 12 de outubro, que deverá registrar a maior movimentação financeira (R$ 46,7 milhões) e de viagens (41,3 mil).

Os destinos turísticos dos nove estados do Nordeste devem acrescentar 3,17 milhões de viagens à região. O Ministério do Turismo considerou as datas de 21 de abril (Tiradentes, terça-feira), 1º de maio (Dia do Trabalho, sexta-feira), 4 de junho (Corpus Christi, quinta-feira), 7 de setembro (Independência do Brasil, segunda-feira), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, segunda-feira) e 2 de novembro (Finados, segunda-feira).

O levantamento mostra, ainda, que o Nordeste será, depois do Sudeste, a região mais beneficiada com os 20 dias gerados pelas emendas. O impacto econômico no turismo nordestinos dos seis feriados avaliados é estimado em R$ 4,2 bilhões, o equivalente a 22,3 % da movimentação financeira prevista para os 26 estados e o Distrito Federal no mesmo período.

Foram excluídos o Carnaval, a Semana Santa, o Natal e o Réveillon, feriados estendidos, porém previstos todos os anos. A movimentação financeira no Brasil com esses feriados será de R$ 18,66 bilhões, com um acréscimo de 10,9 milhões de viagens domésticas. O gasto médio previsto no conjunto de viagens será de R$ 1.712,87. O levantamento foi feito pelo Ministério do Turismo em parceria com a Fundação Getulio Vargas.

Março na Paraíba: Poucas chuvas e sol na maioria dos dias no litoral paraibano podem ser apontados como fatores positivos para os bons números do turismo paraibano no mês de março. O Setor de Pesquisa e Estatística da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) divulgou, nesta quinta-feira (16), o Fluxo Estimado de Turistas e a Ocupação Hoteleira no Estado em março, segundo o qual em João Pessoa a ocupação média foi de 77,42%, registrando um aumento de 7,02% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Portal Arara

Fonte : Click PB

TCE-PB alerta prefeitos sobre gastos com festas juninas

Uma tradição da região Nordeste, as festas de São João e São Pedro devem acontecer nos municípios paraibanos mesmo com as dificuldades financeiras enfrentadas pelas prefeituras. 

Atentos a recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) para evitar ao máximo o gasto de verbas públicas, gestores chegaram a diminuir dias de festa e optaram por contratar bandas mais baratas, “valorizando a prata da casa”.

Uma resolução expedida pelo TCE-PB alerta os gestores sobre contratação de grupos musicais, profissionais ou empresas do setor artístico. O propósito segundo o conselheiro Nominando Diniz é evitar, em qualquer época, a sangria dos cofres públicos. De modo geral, a norma estabelece que os contratos sejam feitos mediante licitação, o que pode incluir serviços de iluminação, sonorização e montagem de palcos.


O descumprimento de qualquer dispositivo legal vigente na resolução do Tribunal de Contas, bem como a não observância do princípio constitucional da razoabilidade, no que tange ao valor do contrato quando comparado com outras despesas, tais como saúde, educação, ação social ou infra-estrutura, poderão ensejar a imputação de multa ao ordenador de despesa ou determinação de ressarcimento ao erário.

Governador decreta situação de emergência em 170 municípios da PB

O governador Ricardo Coutinho (PSB) decretou situação de emergência em 170 municípios da Paraíba por 180 dias. O ato foi publicado no Diário Oficial do estado do último sábado (18).

O chefe do executivo estadual considerou que as últimas chuvas não foram suficientes para acabar com a escassez de água.

Com a situação de emergência decretada, o governo estadual fica autorizado a fazer abertura de crédito extraordinário e convocar voluntários para reforço das ações de respostas ao desastre natural vivida no estado.

Além disso, ficam dispensados de licitações os contratos de aquisição de bens e serviços necessários às atividades de respostas ao desastre, locação de máquinas e equipamentos,de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação do cenário do desastre, desde que possam ser concluídas no prazo estipulado em lei.



Blog do Gordinho

Juiz afirma que Prefeituras e Câmaras da PB são ‘verdadeiras quadrilhas’

O juiz Aluízio Bezerra, coordenador no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) da Meta 4 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que julga ações de improbidade administrativa e crimes contra a administração pública no Estado, disse, nesta terça-feira (14), que as Prefeituras e Câmaras de Vereadores da Paraíba estão se transformando em verdadeiras “quadrilhas”.

Na última sexta-feira (10), o TJPB divulgou o 1º lote de sentenças da Meta 4. Foram condenados 28 ex-prefeitos paraibanos. “Algumas Prefeituras e Câmaras de Vereadores estão se transformando em verdadeiras quadrilhas, grupos de pessoas que se reúne para usar o dinheiro público em benefício próprio”, afirmou o coordenador da meta 4.

“As investigações revelam articulações de gestores e ex-gestores com propósitos de enriquecimento ilícito. Verificamos municípios sem saúde, sem infraestrutura, mas familiares de políticos com carros importados, contas bancárias em nomes de laranjas, casas e apartamentos nas praias. É o município pobre e o gestor rico. O curioso é que a prosperidade de gestores só acontecem nos períodos das gestões”, acrescento Aluízio Bezerra.

MaisPB



Associação dos Municípios do Brejo e Curimataú da Paraíba é criada em encontro entre Gestores

Prefeitos de Várias Cidades do Brejo e Curimataú da Paraíba, se encontraram em Bananeiras nesta sexta-feira, 17 de abril. Entre os vários temas abordados, esteve a criação da Associação dos Municípios do Brejo e Curimataú Paraibano, onde o Prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena, foi eleito presidente, e o Consórcio de Saúde, a ser concretizado em outro momento.

A partir da criação da Associação, foi sugerido uma pauta comum de reivindicações a ser encaminhada ao Governo do Estado e ao Governo Federal, onde se destacou o abastecimento de água – volta dos carros pipas e perfurações de poços -, habitação e liberação de recursos para a saúde.

O Prefeito de Solânea, Beto do Brasil, disse que a união entre os Gestores é importante para o desenvolvimento da região, pois suas reivindicações ganharão mais força.

Para o Prefeito anfitrião da reunião, Douglas Lucena, o saldo foi positivo e demonstra a maturidade dos Gestores. “O saldo foi extremamente positivo, com a presença de vários prefeitos, numa demonstração clara de que esses gestores estão amadurecendo para pensar os problemas de forma coletiva e buscar soluções juntos. Com essa capacidade de diálogo nós temos a condição de traçar um rumo de crescimento sustentável para o Brejo e Curimataú Paraibano”. Comentou.

Em maio, quando ocorre a Marcha dos Prefeitos em Brasília, a Associação já deve apresentar uma pauta coletiva onde deve apresentar, entre outras, uma proposta para a reforma política.

Os Prefeitos agora irão discutir a criação de um Consórcio de Saúde para os municípios.

Participaram do encontro, os Prefeitos: Adriana – Pilões, Alcione Beltrão – Alagoinha, Paula Maranhão – Borborema, Beto do Brasil – Solânea, Edgar Gama – Belém, Guilherminho – Cuitegi, Erivan Bezerra – Tacima, Fábio Moura – Riachão, Antônio Justino – Dona Inês, Lucílio – Damião, Júnior Félix (Sec. De administração) – Caiçara, Petrônio Freitas (Sec. De Administração e finanças) – Serraria.


Assessoria

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Professor do CCA é citado no Ranking of scientists in Brazilian Institutions

Professor Dr. Djail Santos/Diretor do CCA/UFPB/Areia PB
O Prof. Dr. Djail Santos, Diretor do CCA/UFPB, foi citado no Ranking of scientists in Brazilian Institutions according to their GSC ( http://www.webometrics.info/en/node/102 ) , tendo ficado em 5º lugar de toda a UFPB de acordo com esse ranking, com fato H-index de 23. Ao todo, foram citados 11 professores da UFPB, sendo Djail Santos, o único do CCA.  Na colocação nacional, dos 3000 perfis, o referido Docente ficou em 1.105.


Esta edição foi construído com dados coletados durante a primeira semana de fevereiro de 2015, considerando-se  os perfis públicos dos investigadores que trabalham em  Instituições do Brasil (Brasil, América do Sul). É um Ranking BETA dos cientistas de acordo com informações fornecidas ao banco de dados Google Scholar Citations.

Fonte: ccaufpb.wordpress.com